História

O movimento Fora Collor que resultou na deposição do presidente Collor de Mello em 1992 foi um marco na História do Brasil. Converteu-se no primeiro movimento majoritariamente juvenil e de massa no momento pós-redemocratização no Brasil, depôs o primeiro presidente eleito após o regime militar, em grande parte pela perda de base parlamentar do então mandatário, pela crise econômica aguda com uma recessão prolongada e pela ação dos movimentos sociais que foram também fundamentais para vocalizar a insatisfação com a política econômica, o desemprego e a miséria.

Deve-se salientar que à época havia crimes de responsabilidade cometidos pelo presidente Collor amplamente documentados, com provas, diferentemente do que ocorreu em 2016, quando houve um golpe de Estado mal travestido de impeachment pelas “padaladas fiscais”, que nunca foram motivo de questionamento em todos os governos anteriores, desde a ditadura, e que continuaram a ocorrer no governo do golpista Michel Temer em 2016 e 2017 sem qualquer questionamento pelos mesmos órgãos que tanto denunciaram o suposto ilícito das pedaladas da presidente Dilma.

O Fora Collor em 1992 teve repercussões no momento histórico posterior. No Brasil não tivemos o processo de privatizações, estrangeirização da economia e dolarização que ocorreu radicalmente por exemplo na Argentina de Carlos Menem, e isso se deu pela resistência social popular contra o modelo implantado tanto por Collor quanto por Menem e por uma série de governantes latino americanos que abraçaram o discurso do Neoliberalismo, da abertura de mercado, da destruição dos direitos sociais e das privatizações. O Fora Collor foi um ponto alto dessa resistência, criou espaço para o crescimento do movimento social, consolidou a liderança de Lula que havia disputado e perdido a eleição de 1989 contra Collor e obrigou a Direita no Brasil a abandonar o projeto de ter uma candidatura a presidente oriunda de seus quadros, muito identificados com a ditadura militar e o governo Collor. Essa mesma Direita resolveu apoiar uma candidatura de um partido de centro à época, o PSDB, o que impediu o avanço da Esquerda, inaugurando uma aliança política do centro com a Direita no país, como consequência da repercussão do que foi o fracasso do projeto neoliberal explícito de Collor de
Mello.

Penildon Silva Filho

 

O breve século XX e a longa década de 1980